sábado, 24 de junho de 2017

Jovem é preso com armas e munições em Vargem Grande do Rio Pardo



PM apreendeu armas e munições (Foto: Polícia Militar/ Divulgação)

Um jovem de 18 anos foi preso por tentativa de homicídio em Vargem Grande do Rio Pardo, nessa quarta-feira (21). Foram apreendidas duas armas e uma motocicleta.
Segundo a Polícia Militar, ele e um comparsa, de 28, atiraram na vítima, de 21 anos, que conseguiu fugir pulando muros sem ser atingido.
Durante rastreamento, os autores foram localizados em uma motocicleta e o piloto conseguiu fugir por um matagal. A polícia apreendeu dois revólveres, munições e a moto, que estava com o chassi adulterado. O jovem preso disse que o crime foi motivado por causa de um roubo praticado pela vítima.

https://www.facebook.com/portalminashoje/

Homem mata ex-mulher por ser chamado de ‘saco de batatas’ - Santa Luzia - Belo Horizonte


A Polícia Civil apresentou nesta sexta-feira (23), o pedreiro Antônio Ricardo Leal, de 47 anos, suspeito de ter matado a ex-companheira com 14 facadas em Santa Luzia, na região metropolitana de Belo Horizonte, na frente dos filhos. O estopim da briga que levou ao homicídio teria sido, segundo ele, uma provocação feita pela vítima, que perguntou se ele era “um homem ou um saco de batatas”.
O crime aconteceu no dia 16 de maio, quando o bandido invadiu a casa em que Maria de Lourdes Santos Leal, de 41 anos, dormia com os filhos de 12, 14 e 18 anos, no bairro Londrina. O filho mais velho possui deficiência mental e era totalmente dependente da mãe.
“Na data dos fatos, o senhor Antônio seguiu a ex e a filha caçula até uma escola de dança. Quando elas voltaram para casa, ele foi embora, mas voltou por volta 23h30, quando entrou na residência”, explicou a delegada Adriana Rosa.
Nesse momento os dois começaram a brigar uma vez que a dona de casa não queria reatar o casamento de 23 anos. Inconformado, o suspeito mandou que os filhos adolescentes se amarrassem com cordas que ele tinha levado. Já o mais velho, que não anda, foi carregado pelo pai até um outro quarto.
O homem tentou fazer com que a mulher tomasse um líquido branco, mas ela se recusou. Em seguida, a vítima foi levada para o banheiro.
“Primeiro ele pediu: ‘ajoelha e beija meus pés’, mas minha mãe não disse nada. Depois, ela aguentou as facadas calada, para que meu pai não matasse a gente”, contou o adolescente de 14 anos à reportagem na época do crime.
“Ele levou a faca enrolada em um papelão, umas luvas amarelas e o frasco. Fica claro que o crime foi premeditado, apesar dele alegar que ‘ficou cego’ quando ocorreu a provocação”, disse a delegada.

TENTA MATAR A FILHA

Após ter certeza que a mulher estava morta, o homem ainda tentou assassinar a filha.
A garota foi salva pelo irmão, que se livrou das cordas ao perceber que o pai agrediria a garota. “Ele disse que queria matar minha mãe e minha irmã para que minha avó (materna) e eu sofrêssemos. Mas eu parei na frente dele e disse: ‘Você não vai matar minha irmã. Me mata’”, explicou o adolescente.
O homem fugiu e se apresentou na delegacia, na companhia de um advogado, seis dias depois do crime. Ele, que já estava com a prisão preventiva decretada, foi autuado por feminicídio e por tentativa de homicídio contra a filha.
“Esse é um típico caso da cultura do machismo, que, infelizmente, ainda impera. E isso precisa ser discutido pela sociedade. O machismo mata”, finalizou a delegada.
https://minashoje.com/2017/06/homem-mata-ex-mulher-por-ser-chamado-de-saco-de-batatas/

Homem é preso após estuprar e tentar matar a própria mãe em MG - Vítima tinha medida protetiva contra o filho, que é usuário de drogas. 'Estou perplexa', disse delegada sobre o crime.



A Polícia Civil em Bom Despacho prendeu em flagrante na manhã desta quinta-feira (22) um homem de 36 anos suspeito de estuprar e tentar matar a própria mãe, uma idosa de 65 anos.
Segundo informações repassadas pela delegada Angelita Viviane Soares Alves, o crime ocorreu durante a madrugada. Após o estupro, ele tentou matar a vítima asfixiada com um pano embebido de acetona. A delegada acrescentou que a mãe tinha uma medida protetiva contra o filho. Contudo, ele se machucou recentemente e, por isso, a vítima deixou que ele retornasse para casa.
“Essa senhora de 65 anos já tinha uma medida protetiva contra o filho, mas ela deixou que ele voltasse para a casa depois de machucar o pé. Nessa madrugada ela acordou com ele já tentando asfixiá-la e depois disso ele agrediu e manteve relações com ela por duas vezes sem o consentimento da vítima”, detalhou a delegada.
O homem tem passagens por furtos e roubos e já foi preso outras vezes por estes crimes. “A mãe inclusive já esteve na delegacia em outras ocasiões e já representou contra ele. Além de usuário de drogas, ele é alcoólatra”, contou.
Angelita disse que já ouviu o homem e, de acordo com o relato, ele não se vê comentando os crimes e esquece do que fez em seguida. “Não há desculpas para um crime tão grave. Estou perplexa, é uma mãe, uma senhora muito humilde e jamais deveria ter passado por essa situação”, finalizou.
A delegada completou informando que ele já foi levado para o presídio da cidade e será apresentado às 14h na Delegacia Regional de Bom Despacho. Se condenado, pode pegar até 10 anos de prisão.
A vítima recebeu atendimento e foi examinda por um médico legista que confirmou o abuso sexual.
https://minashoje.com/2017/06/homem-e-preso-apos-estuprar-e-tentar-matar-propria-mae-em-mg/

DROGADOS RETORNAM PARA A ANTIGA CRACOLÂNDIA NO CENTRO DE SÃO PAULO


Cracolândia na Alameda Cleveland. Segundo 'G1′, liderança estimulou usuários da Cracolândia a saírem juntos de praça. Polícia informou que não houve nenhuma operação para retirar os drogados da Praça Princesa Isabel, e que o deslocamento foi espontâneo
Os craqueiros que ocupavam a Praça Princesa Isabel, na região central de São Paulo, decidiram migrar para as proximidades da antiga Cracolândia depois da recomendação de uma espécie de liderança do grupo. Conforme apurou o Bom Dia São Paulo, essa liderança conversou com os drogados e, aos poucos, eles desmontaram as barracas e fizeram o caminho de volta. A informação foi publicada pelo 'G1′.
A polícia informou que não houve nenhuma operação para retirar os drogados da Praça Princesa Isabel, e que o deslocamento foi espontâneo. Polícia Militar (PM) e Guarda Civil Metropolitana (GCM) reforçaram a segurança na região no fim da noite desta quarta-feira (21), mas não houve nenhum tipo de confronto. Os trabalhos foram somente de monitoramento preventivo.
Os drogados agora voltaram a ocupar a Rua Helvétia, mas na esquina com a Alameda Cleveland e não mais no cruzamento da via com a Alameda Dino Bueno. O grupo se concentra em uma parte da Praça Júlio Prestes, em frente à estação homônima, da Linha 9-Diamante, da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).
Os drogados deixaram a Praça Princesa Isabel praticamente juntos. Eles ocuparam o local por aproximadamente um mês e, depois da debandada, o que ficou para trás foi lixo. "Muito colchão, muito cobertor, muito lençol, caixa de papelão, sapato velho...", tentou elencar um gari que participou dos trabalhos de limpeza durante a madrugada.
'Fim da Cracolândia'
Há um mês, prefeitura e governo estadual realizaram uma megaoperação para pôr fim à região conhecida como Cracolândia, no Centro da capital. A ação policial começou logo pela manhã do dia 21 de maio e retirou drogados e traficantes de drogas do cruzamento entre a Rua Helvétia e a Alameda Dino Bueno. Eles saíram, mas não foram longe.
Durante a ação policial das polícias Civil e Militar, armas, máquinas de cartão de crédito, celulares e pinos usados para embalar entorpecentes foram apreendidos. As forças policiais também prenderam suspeitos de vender drogas e outros que, de acordo com as investigações, faziam a "segurança" armada do tráfico.
Drogados, saíram correndo e se dispersaram pelo Centro. Na fuga, alguns aproveitaram para saquear comércios da região. Primeiramente, eles se espalharam por vias, como a Rua dos Gusmões e a Avenida Duque de Caxias. Depois, ocuparam a Praça Princesa Isabel.
Ao fim do trabalho policial, o prefeito João Doria chegou a dizer que, após mais de dez anos, a Cracolândia enfim havia acabado – ao menos "fisicamente". Segundo ele, a partir de então, a região deveria ser chamada de Nova Luz. Os drogados, no entanto, passaram a se concentrar em grande número na Praça Princesa Isabel e até barracas voltaram a montar.
Em paralelo à operação para reprimir o tráfico, a Prefeitura intensificou a abordagem de assistentes sociais a moradores de rua e usuários de drogas da região. Conforme último balanço da gestão Doria, desde 21 de maio, 25.235 abordagens foram feitas no bairro. Deste total, houve 10.786 encaminhamentos para centros de acolhida.
A Prefeitura também montou contêineres na sede da GCM, que também fica no Centro, para facilitar o atendimento aos drogados. A estrutura oferece alojamento, alimentação e assistência médica. Ela seria instalada na própria Praça Princesa Isabel, mas o plano foi frustrado após protestos de comerciantes e moradores do entorno.
Doria promete revitalizar a Nova Luz até o fim de 2019. Para cumprir o prazo, vai utilizar uma manobra jurídica polêmica e tomar posse de imóveis particulares do bairro em caráter de emergência. O tucano disse que vai demoli-los para reurbanizar a área e construir, entre outros equipamentos públicos, moradias populares e um hospital. A demolições já começaram.


http://amigosdaguardacivil.blogspot.com.br/2017/06/drogados-retornam-para-antiga.html

ONU DECLARA QUE CERCA DE 5% DA POPULAÇÃO MUNDIAL CONSUMIU DROGAS EM 2015


Cerca de 5% da população mundial consumiu drogas em 2015, diz relatório da ONU

O Relatório Mundial sobre Drogas da ONU, divulgado nesta quinta-feira (22) em Viena, mostra especial preocupação pela situação de 29,5 milhões de pessoas que sofrem com transtornos graves pelo consumo de drogas, incluída a toxicodependência
De acordo com um relatório da Organização das Nações Unidas (ONU) divulgado nesta quinta-feira (21), 5% da população mundial consumiu algum tipo de droga em 2015, o que se traduz em aproximadamente 250 milhões de pessoas, e pelo menos 190 mil morreram neste mesmo ano por causas diretas relacionadas com entorpecentes. As informações são da Agência 'EFE'.
O Relatório Mundial sobre Drogas da ONU, divulgado nesta quinta-feira em Viena, mostra especial preocupação pela situação de 29,5 milhões de pessoas que sofrem com transtornos graves pelo consumo de drogas, incluída a toxicodependência, e que são os mais vulneráveis. Só uma de cada seis pessoas que requer tratamento por estes transtornos recebe assistência, a maioria nos países desenvolvidos, aponta o reporte elaborado pelo Escritório das Nações Unidas contra a Droga e o Delito (UNODC).
O número de consumidores de drogas se mantém estável há cinco anos, mas os responsáveis pelo relatório advertem que o mercado das drogas está se diversificando com o surgimento de novas substâncias mais potentes e perigosas. "Aumentou a situação de risco para a saúde pela diversificação e a potência de novas substâncias", explicou em uma coletiva de imprensa Angela Me, coordenadora do relatório.
A especialista usou como exemplo o fentanil, um analgésico em pó que é até 50 vezes mais potentes que a heroína e que causou numerosas overdoses nos EUA nos últimos anos.
A maconha é a droga mais consumida, com 183 milhões de usuários em 2015, mas os opioides, entre eles a heroína, seguem sendo as substâncias mais nocivas e as que causam mais mortes. "O consumo de opioides está associado ao risco de overdose fatais e não fatais, ao risco de contrair doenças infecciosas (como HIV e hepatite C) devido à prática perigosa de consumo de drogas por injeção", aponta o relatório.
O diretor da UNODC, Yuri Fedotov, aponta no relatório que "a nível mundial foram registradas pelo menos 190 mil mortes prematuras – na maioria dos casos, evitáveis – provocadas pelas drogas, na maioria atribuídas ao consumo de opioides."
As estimativas do relatório sobre mortes são muito conservadoras, como reconheceu a própria ONU, se levar em conta que só nos EUA houve 52,4 mil mortes por overdose em 2015. Cerca de 35 milhões de pessoas consumem opiáceos (substâncias que procedem da papoula, como heroína e morfina) ou opioides (substâncias químicas de efeito análogo, como metadona).
Este grupo de drogas, segundo o relatório, "representaram 70% dos impactos negativos para a saúde associada com transtornos por consumo de drogas no mundo todo." Em uma situação especialmente arriscada estão as 12 milhões de pessoas que se injetam opioides como a heroína. Delas, "uma de cada oito (1,6 milhões) está vivendo com HIV e mais da metade (6,1 milhões) com hepatite C, enquanto cerca de 1,3 milhão sofrem tanto com hepatite C como com HIV". "Geralmente, morre o triplo de pessoas que consumem drogas por causa da hepatite C (222 mil) do que pelo HIV (60 mil)", explica o repórter.
Os consumidores de cocaína chegam a cerca de 17 milhões, os de "ecstasy" são 21,6 milhões, enquanto os de anfetaminas são calculadas em 37. O relatório aponta que há indícios de um maior consumo de cocaína nos EUA e Europa, os dois maiores mercados, e que aumentaram os casos de tratamento por consumo desta droga.
O relatório aponta que as anfetaminas, que são estimulantes sintéticos, são a segunda causa de tratamento, atrás dos opioides, por transtornos causados pelo consumo de drogas. O texto também mostra que as "novas substâncias psicoativas", das quais até 2015 eram mais de 700 tipos, podem supor riscos para a saúde porque sua composição não costuma estar padronizada e pode conter elementos muito nocivos.
Estas novas substâncias sintéticas imitam os efeitos de certas drogas tradicionais, como a maconha, e ao ser mais baratas costumam ser mais atrativas para alguns consumidores. Além das mortes, o relatório aponta para a perda de "anos de vida sã" pelas mortes prematuras e a incapacidade causada pelo consumo de drogas.

Fonte: Correio Braziliense


http://amigosdaguardacivil.blogspot.com.br/2017/06/cerca-de-5-da-populacao-mundial.html

TERMO DE COMPROMISSO TEM PRAZO MÁXIMO DE 120 PARA OS CONTÊINERES DA CRACOLÂNDIA


Comerciantes aceitam contêineres de atendimento a usuários da Cracolândia por no máximo 120 dias
Foi assinado um Termo de Compromisso entre a Prefeitura, a Cohab e a Associação de Moradores e comerciantes de Campos Elíseos.
Por Paula Paiva Paulo, G1 SP, São Paulo


Os comerciantes e moradores da Rua General Rondon, na região da Luz, aceitaram a abertura das unidades de atendimento a usuários da Cracolândia após a Prefeitura se comprometer que a duração neste endereço será no máximo de 120 dias.
A Prefeitura tentou instalar os contêineres na General Rondon logo após a ocupação da Praça Princesa Isabel pelos usuários. Mas, após protesto dos comerciantes, eles foram instalados no estacionamento da GCM.
O acerto se deu após três reuniões de comerciantes com o secretário municipal de Assistência e Desenvolimento Social, Filipe Sabará. A Prefeitura também se comprometeu com a segurança e a limpeza da rua. Desde o começo da instalação dos contêineres, um carro da Guarda Civil Metropolitana passa o dia no local.
Foi assinado um Termo de Compromisso entre a Prefeitura, a Cohab e a Associação de Moradores e comerciantes de Campos Elíseos. O texto diz que o compromisso é de "ocupar o imóvel municipal sito na Rua General Rondon, n 52/58, como Unidade Híbrida de Atendimento Social e de Saúde, pelo período máximo de 120 dias, a contar da data de 9 de junho de 2017".
O terreno, que tem 1641 m2, pertence à Cohab, que o cedeu pelos 120 dias. No futuro, o local abrigará um projeto de habitação popular, que prevê 133 unidades habitacionais.
O despachante Paulo José Ferreira da Silva, que está há 6 anos na rua, disse que "a preocupação é que a gente não fique sitiado". Segundo ele, a limpeza e a segurança da região melhoraram nos últimos dias. "Vamos esperar para ver como vai ficar".
Fátima Ferreira, que tem uma agência de Turismo em frente aos novos conteinêres, também disse que a preocupação é com a segurança. "A gente fecha às 18h, mas as vezes tem que fechar até mais cedo". Ela disse que a situação era pior quando a concentração de usuários era na Dino Bueno, e todas as manhãs tinha que limpar fezes e urina das calçadas.
A previsão é que os novos conteineres passem a funcionar na próxima semana. O espaço terá banheiros e 200 dormitórios para a noite.
Barracas na Alameda Cleveland
Usuários deixam Praça Princesa Isabel e retornam para antiga Cracolândia
Alameda Cleveland, o novo endereço da Cracolândia na região central de São Paulo, já tem barracas de acampar e outras formadas por lonas. Os registros foram feitos pelo Globocop na madrugada desta sexta-feira (23), dois dias após os usuários migrarem para a região, deixando a Praça Princesa Isabel, e um dia após o secretário da Segurança Pública, Mágino Alves Barbosa Filho, afirmar que não seria permitida a instalação de barracas.
Segundo a polícia, esse tipo de estrutura facilita a ocorrência de um feirão da droga na região. Algumas barracas chegaram a ser montadas também na Praça Princesa Isabel, e na madrugada desta sexta ainda era possível encontrar lá materiais usados pelos usuários de drogas, como cordas.
Em entrevista ao G1 na quinta-feira (22), Mágino reafirmou ainda que a Polícia Militar (PM) não determinou a retirada dos dependentes químicos do local, mas que seguirá combatendo o tráfico de crack na região, não permitindo, por exemplo, a instalação de barracas nas vias públicas.
“Nós não vamos permitir a instalação de barracas. As barracas foram aqueles instrumentos que possibilitaram a instalação do tráfico no antigo fluxo da Cracolândia e da Rua Helvétia”, comentou sobre os locais onde traficantes aproveitavam para vender droga. “Na Praça Princesa Isabel eles começaram a fazer a mesma coisa, nós fomos lá e desmontamos. Se eles fizerem a mesma coisa na Praça Júlio Prestes, nós vamos desmontar também”, disse.


http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/comerciantes-aceitam-conteineres-de-atendimento-a-usuarios-da-cracolandia-por-no-maximo-120-dias.ghtml

TRAGÉDIA NA BR-101, GRAVE ACIDENTE RESULTA EM 22 MORTES


Dono de carreta que causou tragédia na BR-101 é preso no ES, diz polícia

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) disse que a carreta transportava uma carga além da permitida e estava com pneu careca. Vinte e duas pessoas morreram no acidente.
Por Naiara Arpini, G1 ES


Jacymar Pretti, de 63 anos, um dos donos da Jamarle Transportes, empresa responsável pela carreta que causou o acidente que deixou 22 pessoas mortas, nesta quinta-feira (22), na BR-101, em Guarapari, foi preso em flagrante. A informação foi divulgada pela assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Espírito Santo (Sesp), na tarde desta sexta-feira (23).
Jacymar foi autuado por homicídio doloso, quando assume o risco, e será encaminhado para o Centro de Detenção Provisória de Viana (CDP). O irmão dele, que também é dono da empresa, também poderá responder pelo mesmo crime, segundo a Polícia Civil.
A tragédia na BR-101, em Guarapari, aconteceu após a colisão entre a carreta, um ônibus de viagem e duas ambulâncias, no início da manhã desta quinta. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) disse que a carreta transportava uma carga além da permitida e estava com pneu careca. O governo do estado decretou luto de três dias. Esta foi a pior tragédia em rodovias da história no Espírito Santo.
De acordo com o delegado Alberto Roque Perez, a investigação aponta para uma forte negligência por parte dos donos da empresa.
"O veículo estava em condições inadequadas para rodagens. Há indícios muito fortes de que a pedra que estava sendo carregada era 10 toneladas acima do peso permitido, o horário que estava sendo levado era na madrugada para evitar fiscalização", explicou.
Em depoimento, a viúva do motorista da carreta contou à polícia que o marido trabalhava em situação de risco.
"Ela nos confidenciou em depoimento que isso é uma conduta reiterada por parte da empresa, que já ocorreram outros acidentes por esse motivo e que o próprio motorista estava preocupado na noite de quarta-feira, quando saiu de sua residência, com as condições do veículo. Além disso, ela nos passou que, possivelmente, devido ao excesso de que trabalho a que ele estava sendo exposto, ele teria feito o uso de arrebite. A perícia coletou material e vai fornecer os resultados na semana que vem", disse o delegado.
Em entrevista ao Bom Dia Espírito Santo desta sexta, o chefe da Polícia Civil, Guilherme Daré adiantou que o dono da carreta e o motorista seriam responsáveis pelo acidente.


http://g1.globo.com/espirito-santo/noticia/dono-de-empresa-responsavel-por-carreta-que-causou-tragedia-na-br-101-e-preso-diz-sesp.ghtml